Espaço de debate, crônica crítica do cotidiano político paraense e de afirmação dos pressupostos de construção de um Pará e Brasil Democrático e Socialista!

Editor: José Trindade



sábado, 18 de setembro de 2010

AS TRABALHADORAS DOMÉSTICAS E SUA IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E SOCIAL NO GÊNERO FEMININO (II)

No Pará tínhamos, em 2009, 3,2 milhões de trabalhadores, segundo a Pesquisa Nacional por Amostragem Domiciliar (Pnad), deste universo cerca de 1,95 milhão são homens e 1,26 milhão são mulheres. Considerando que 246 mil trabalhadores não têm rendimento e desses, 137 mil são mulheres (provavelmente donas de casa), temos então 1,13 milhão trabalhadoras do sexo feminino remuneradas.


Evolução do número de trabalhadores, segundo o sexo - Pará (2004-2009)

Fonte: Pnad/Ibge. (clique na figura para ampliar)

O número de empregadas domésticas em 2009 era de 222 mil. Detalhando esse total, temos 209 mil pessoas do sexo feminino domésticas contra 13 mil pessoas do sexo masculino, em termos percentuais 94% dos trabalhadores domésticos são do sexo feminino, portanto basicamente uma categoria de trabalhadores do gênero feminino. ATAQUES A ESSAS TRABALHADORAS É ATAQUE AS MULHERES EM GERAL.

Evolução do número de trabalhadores domésticos, segundo o sexo - Pará (2004 - 2009)
Fonte: Pnad/Ibge. (clique na figura para ampliar)


Considerando agora apenas os trabalhadores remunerados, temos pouco menos de 3 milhões de pessoas, onde 1,27 milhão são mulheres. Então, com relação ao número de trabalhadores remunerados do sexo feminino 18,5% são domésticas. Praticamente uma em cada cinco mulheres trabalhadoras remuneradas tem como ocupação principal o trabalho enquanto domésticas.


Evolução do número de trabalhadores do sexo feminino, segundo o trabalho principal e a posição na ocupação - Pará (2004-2009)

Fonte: Pnad/Ibge. (clique na figura para ampliar)


Os números falam por si mesmo, as palavras são cortantes quando discriminam e não respeitam aquelas que de forma cotidiana tratam de lares e crianças de outros, ao mesmo tempo em que com suas pequenas rendas ganhas mantêm seus lares e o cuidado com suas próprias crianças.
Abaixo o vídeo A resposta da Diarista. Vale a pena conferir! Ouvir algumas verdades não faz a ninguém. 

video



Veja o diálogo discriminador abaixo e forme sua própria opinião (retirado do programa Tucano de TV):
“Tucano: - Varrendo de novo, tá tudo arrumado já!
Diarista: - Eu só sei fazer isso, repetir mil vezes a mesma coisa.
Tucano: - Quando a Senhora chegou por aqui tava tudo arrumado, não tinha nada para se arrumar..
Diarista: - 4 anos arrumando a casa eu não sei fazer outra coisa, quando tá tudo arrumado eu desarrumo tudo para arrumar tudo de novo!”

O que está por detrás disto é a discriminação contra o gênero feminino e não somente as trabalhadoras domésticas. O machismo e o descaso com o lar é a tônica desses senhores que durante doze anos desmandaram e destruíram o lar “Pará”.



Proposta Democrática 13.

Nenhum comentário:

Postar um comentário